O sacerdote umbandista

Algumas orientações de Pai Ortiz para os pretendentes ao sacerdócio umbandista.

Todo tipo de sacerdócio é exercido por pessoas especiais; conduzir seres humanos sedentos de respostas, em busca do encanto de estar ligado ao Criador é um ato de realizar a liturgia com sabedoria, é uma dádiva. Palavras edificantes esperadas pelo grupo de trabalhadores e assistidos, esperançosos da busca da Força Maior.

Estar à frente de um grupo é uma responsabilidade muito grande, requer habilidade, tato, equilíbrio, bom senso e conhecimento do que se está realizando…

Creio que um médium, para receber o título do sacerdócio, deve ser um médium apontado pelos eu dirigente espiritual, onde este sabe e avaliou todas as condições do futuro sacerdote. E se houver algum tipo de ritual nesta escola, o dirigente espiritual do médium tem que dar a outorga para tal fato…

A mente de um orientador espiritual deve sempre estar apontada para o futuro; as marcas e mágoas do passado, as pessoas negativadas devem estar e ficar no passado; os faróis da vida de um sacerdote só iluminam seus passos para frente, a caminho do futuro…

Um dos apontamentos mais importantes para um sacerdote foi passado pelo mentor de Chico Xavier, Emmanuel, onde ele disse que o mais importante para ser médium é a disciplina. Sem disciplina, o sacerdote não será um bom dirigente espiritual, e automaticamente os seus médiuns não terão esta disciplina também…

O sacerdote deve ser uma pessoa exemplar; sabedor que ele é o alvo; é a pessoa que, por mais que não perceba, estará sempre sendo vigiado e comparado com outros.

Quando faz algo pelas pessoas, dificilmente será elogiado, o que, aliás, nem deve ser buscado; mas, se fizer algo que esteja fora deste contexto será vilipendiado, julgado e condenado; e muitas vezes executado. Ser dirigente espiritual não é tarefa para fracos, para pessoas que se melindram diante das adversidades da vida e da espiritualidade.

Umbanda na Umbanda – Ortiz Belo de Souza

Juramento do sacerdote

Coloco-me perante as forças de Deus e de joelhos rogo Vossa Luz neste juramento.

Comprometo-me a cumprir com minhas obrigações, respeitando a base Crística de Oxalá perante a Cúpula da religião de Umbanda e perante o Criador.

Jamais cobrarei pela obrigação de servir aos necessitados e aos meus filhos.

Dedicar-me-ei a ser exemplo para enaltecer o nome de minha religião.

Mesmo diante de minhas fragilidades, mesmo se estiver em dificuldades, não virarei as costas a quem necessita.

Levarei sempre a palavra do bem, respeitando as Leis do Universo.

Ensinarei o que sei aos meus iniciados.

Juro e comprometo-me com minha religião e responderei ao Criador pelas minhas falhas.

Juro, como sacerdote de Umbanda, ser leal aos desígnios da espiritualidade maior, sendo humilde e levando o amor a todos os irmãos sem distinção.

São Vicente, 09/10/2022

Manoel Lopes

Comentário logado facebook

Você pode gostar...

Deixe um comentário

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com